Belém recebe exposição internacional com iniciativas práticas sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A mostra “SEMENTES DA ESPERANÇA E AÇÃO: Transformando os ODS em Realidade”, já vista por mais de 1,5 milhões de pessoas em vários países, será exibida na capital paraense a partir do Dia Mundial do Meio Ambiente

Em meio ao intenso debate sobre as mudanças climáticas, a capital paraense e sede da COP-30, recebe neste mês de junho a exposição internacional Sementes da Esperança e Ação, que apresenta maneiras práticas para transformar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em realidade. 

Promovida pelo Instituto Soka Amazônia e a Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc),  Sementes da Esperança e Ação é uma realização conjunta da Soka Gakkai Internacional e Carta da Terra Internacional e foi exibida durante a COP 26, em Glasgow na Escócia. A mostra já percorreu algumas cidades brasileiras (como Manaus e São Paulo) e diversos países como México, França, Japão, Índia, entre outros, euas edições anteriores estiveram nas Conferências Rio+10 e Rio+20.

A exposição integra os eventos oficiais da Secretaria da Estado de Educação do Pará (Seduc) em comemoração ao Dia do Meio Ambiente e teve sua abertura oficial na manhã do dia 5, na sede da Seduc, onde permanece até o dia 7 de junho, com entrada gratuita, priorizando os educadores e gestores escolares como multiplicadores do conhecimento.  Do dia 10 a 16 de junho estará aberta para visitação pública no Centro de Formação dos Profissionais da Educação Básica do Pará (Cefor) e nos dias 18 e 19 será exibida no Encontro Youth (Y20), no Hangar Centro de Convenções da Amazônia.

 diretoria executiva da Carta da Terra Internacional, Mirian Vilela, em mensagem enviada especialmente para inauguração da mostra, destacou a importância dessa iniciativa  chegar a capital da COP30 seguindo o compromisso de sensibilizar, inspirar e engajar a população para o alcance dos ODS, especialmente os jovens. E sugere: “que tal que esta seja a geração conhecida por ter tomado consciência e começado a cuidar do planeta?”

 

Estiverem presentes na abertura da exposição, o Secretário de Educação do Estado do Pará, Rossieli Soares, e o presidente e vice-presidente do Instituto Soka Amazônia, Luciano Gonçalves e Milton Fujiyoshi.

Consciência e Ação

O fio condutor da exposição passa pelos fundamentos da Agenda 21 – INSPIRAR, APRENDER, REFLETIR, EMPODERAR E AGIR/LIDERAR – destacando o potencial humano para transformação. 

Com ênfase na AÇÃO, a mostra é um convite aos visitantes para uma reflexão enquanto membros de uma mesma família humana e planetária, apresentando a busca pela coexistência harmônica entre o ser humano e meio ambiente como caminho para o real desenvolvimento sustentável. 

Ao retratar cidadãos de diferentes culturas, a exposição aborda o desafio de superar os conflitos decorrentes da discriminação. “Todos são diferentes – cada um de nós tem suas próprias ideias e soluções únicas que podem transformar uma sociedade inteira, a começar por nós mesmos, nossa família e amigos” é a mensagem de um dos painéis.

 

AGENDA Belém-PA

Dia 5 de junho, 8h30 – Entrada Gratuita – Abertura da Exposição Semente da Esperança e Ação

Local: Sede da Secretaria de Estado de Educação do Pará (SEDUC)

De 05 a 07 de junho, das 8h às 17h – Visitação por Educadores e Gestores Escolares

Local: Sede da Secretaria de Estado de Educação do Pará (SEDUC)

De 10 e 16 de junho, das 8h às 17h – Visitação Pública – Entrada Gratuita

Local: Centro de Formação dos Profissionais da Educação Básica do Estado do Pará.

Dias 18 e 19 de junho, horário a confirmar – Encontro Youth (Y20)

Local: Hangar Centro de Convenções da Amazônia

DADOS DA EXPOSIÇÃO 

  • Foi traduzida para seis idiomas e visitada por mais de 1,5 milhão de pessoas em mais de 24 países e territórios.
  • É a versão atualizada da exposição Sementes da Esperança: Visões da Sustentabilidade, passos em direção à mudança, lançada em 2010, e exibida em 2012, na Conferência Rio+20, no Rio de Janeiro. 
  • Teve exibições em importantes eventos e locais: Palácio de Haia, na Holanda; Centro para a Educação Ambiental da Índia; Conferência Anual da NGO do Departamento de Informações Públicas das Nações Unidas em Bonn; Olimpíada da Juventude, em Cingapura; na Rio+20, entre outros. 
  • Sucede a mostra Sementes da Mudança: a Carta da Terra e o Potencial Humano (lançada na Conferência Mundial de Desenvolvimento Sustentável em 2002, em Johanesburgo, África do Sul) e que já teve exibições em Belém, Ananindeua, Santarém, Oriximiná e Juruti, no Estado do Pará.  

Encontrar um bom livro é como encontrar um grande mestre

Palavras do presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda lembradas a propósito da participação do Instituto Soka Amazonas da 37ª. Feira do Livro (SESC Amazonas)

Certa vez, o presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, proferiu as seguintes palavras sobre a importância da leitura e seu incentivo:

Encontrar um bom livro é como encontrar um grande mestre. Por meio da leitura, podemos entrar em contato com centenas e milhares de vidas além da nossa, e entrar em comunhão com sábios e filósofos que viveram há dois milênios. Ler é como sair para uma jornada.

Pode-se viajar para o leste ou para o oeste, para o norte ou para o sul, e conhecer novas pessoas e novos lugares. Ler transcende o

Tempo.

Com esse propósito em mente, o Instituto Soka Amazônia participou da 37a Feira do Livro, realizada pelo Sesc Amazonas. No evento, o Instituto apresentou a exposição Sementes da Esperança e Ação, e expôs aos visitantes o trabalho desenvolvido em sua sede. Eles também conheceram as ações realizadas pelo Instituto, tais como: árvore da interação, em que cada pessoa pode deixar sua mensagem de esperança e de ação; exposição de mudas nativas; plantio de uma semente de Jatobá (espécie nativa da Amazônia); e palestra sobre a importância das abelhas.

Sementes da Esperança e Ação

A exposição Sementes da Esperança e Ação conta com 26 painéis baseados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e tem como objetivo principal fazer com que os visitantes reflitam sobre o nosso papel enquanto cidadãos na proteção e no cuidado com o planeta Terra.

Mensagem da Carta da Terra

Cristina Moreno, representante da Carta da Terra Internacional, enviou mensagem para a abertura do evento na qual ela salientava a importância da educação ambiental.

“Veremos na exposição Sementes da Esperança e Ação, que o Instituto Soka Amazônia nos presenteia, uma amostra da Carta da Terra em ação. Agradecemos à BSGI, parceira importante da Carta da Terra, divulgando sempre mensagens e ações de paz, fraternidade e cuidado com a comunidade de vida em toda a sua diversidade. ”

Palavras do presidente do Instituto Soka Amazônia

Luciano Nascimento, diretor-presidente do instituto, na abertura do evento, teceu as seguintes palavras: “Estamos muito contentes por poder colaborar com essa iniciativa de sucesso e trazer nosso foco de atenção para um público antenado e preocupado em conhecer, pensar e agir em benefício de um mundo melhor para todos”. E, ao final, solicitou aos participantes:

“Vamos nos engajar no desafio de tornar este planeta um lugar de vida, de coexistência e de crescimento, que se dará por meio de livros, mas também pelas atitudes que cada um dos visitantes desta feira e da exposição Sementes da Esperança e da Ação, possa tomar na direção da preservação, da solidariedade, da convivência pacífica, entre os seres humanos, a natureza e o nosso planeta”.

Ao todo, mais de 4 mil pessoas visitaram o estande do Instituto Soka Amazônia e apreciaram a exposição e os ideais de preservação ambiental.

Instituto Soka Amazônia no Jungle Matsuri 2022:

Meio ambiente também é geek

Nos dias 23, 24 e 25 de setembro foi realizado na cidade de Manaus o Jungle Matsuri, considerado como a maior feira de cultura japonesa da Região Norte do país. O Instituto Soka Amazônia fez parte como um dos apoiadores, tendo exposto para os visitantes um pouco do trabalho que é realizado em sua sede em Manaus. 

O verde num cenário multicolorido

Muitos jovens e adultos circularam pelo local ao longo dos três dias de feiras. Alguns até fantasiados, representando heróis ou personagens de animes. Nesse cenário multicolorido, o verde se sobressaiu no stand do Instituto Soka Amazônia. Quem chegava ao stand, se deparava com plantas e sementes de árvores que fazem parte do manejo diário de pesquisadores e técnicos do ISA.

Lista de mudas para o evento

  1. Açaí
  2. Andiroba
  3. Angelim
  4. Bacaba
  5. Cacau
  6. Camu-camu
  7. Capitari
  8. Cedro-vermelho
  9. Chuva de ouro da Amazônia
  10. Copaíba
  11. Cumaru
  12. Cupuaçu
  13. Ipê-pau d’arco
  14. Itaubarana
  15. Jatobá
  16. Jenipapo
  17. Lacmelia
  18. Mai-mari-rosa
  19. Mogno
  20. Orelha-de-macaco
  21. Pau-rosa
  22. Paricá
  23. Seringa
  24. Sumauma
  25. Tento-vermelho
Sementes da Esperança

Durante o Jungle Matsuri também foi apresentada parte da Exposição Sementes da Esperança e Ação. A mostra, com um total de 26 painéis baseados nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), levou os visitantes a refletirem sobre o nosso papel enquanto cidadãos na proteção e cuidado com o planeta Terra. Quem passava pela exposição, saía mais consciente e determinado a contribuir em prol da sociedade.

Ao todo mais de 1.200 visitantes passaram pelo stand do Instituto Soka. Eles eram guiados por técnicos do Instituto e por um time de voluntários, que explicavam cada detalhe e interagiam com muita animação e sorriso no rosto com os participantes. 

Para esses voluntários, o Jungle Matsuri também foi significativo. Não só pela oportunidade de conhecer um pouco mais a cultura e a culinária do Japão, mas por passarem a ter, a partir do evento, melhores condições de fazer a diferença na vida de pessoas.  

Depoimentos de voluntários

Talita Oliveira, 35 anos:

Foi uma valiosa oportunidade de ampliar o diálogo sobre conservação ambiental, humanismo e revolução humana, além de divulgar o trabalho realizado pelo Instituto Soka, engajando novos interessados como doadores e voluntários.

Patrícia Sonoda, 47 anos:

Fiquei muito agradecida pela oportunidade de ser uma voluntária pelo Instituto Soka Amazônia. O evento me fez perceber o quanto as pessoas estão dispostas a contribuir para a preservação do meio ambiente. Cada pessoa com quem conversei me dizia que se cada um plantasse uma árvore, poderia contribuir para salvar vidas! Cada plantinha que pude entregar, meu coração se enchia de felicidade!

Beatriz Drosdeck, 50 anos:

Encontrei várias pessoas interessadas no movimento para proteger a floresta Amazônica e o meio ambiente para futuras gerações em ação conjunta de todos por um mundo melhor. O certo é que ainda temos muitas missões a realizar. Muito obrigada pela oportunidade de poder atuar junto a vocês.

Izis Andrade, 33 anos:

Evento extremamente necessário por inserir a sustentabilidade e educação ambiental em sua programação com o Instituto Soka. Parabéns a todos os envolvidos, principalmente ao Instituto Soka por valorizar ainda mais a cultura local, conscientizando as pessoas sobre o necessário cuidado com o meio ambiente, através de ações práticas.

Equipe do Instituto Soka Amazônia e Voluntários
Novos doadores voluntários

Registre-se, ainda, que durante o Jungle Matsuri, diversos visitantes decidiram se tornar doadores voluntários do Instituto. A eles, nós agradecemos por fazerem parte dessa corrente humana de respeito à dignidade da vida e preservação do meio-ambiente. Para sinalizar nosso reconhecimento aos novos doadores eles receberam mudas de plantas, que cada um poderá plantar em sua própria residência.

Pequenas ações no dia a dia de cada um, sementes capazes de fazer enorme diferença

Uma grande parte das pessoas acredita que não pode fazer nada ou que assuntos como esses são responsabilidade exclusiva do Poder Público.

Há, no entanto, coisas simples, pequenas ações (sementes) no dia a dia de cada um, capazes de fazer enorme diferença. E o melhor: no íntimo, essa forma de agir proporciona sempre muita satisfação pessoal.

A principal mensagem da exposição “Sementes da Esperança e Ação” talvez seja a de conscientização sobre a importância de se repensar a relação entre os seres humanos para superar os conflitos decorrentes da discriminação – intolerância étnico-religiosa, social, política e econômica.

Uma longa história

A exposição tem uma longa história. 

Em 2002, durante a Conferência Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável realizada na África do Sul, a Soka Gakkai Internacional (SGI), em parceria com a Earth Charter Initiative (ECI), apresentou pela primeira vez, a montagem Sementes da Mudança – a Carta da Terra e o Potencial Humano.

De lá para cá a exposição já foi vista por quase 2 milhões de pessoas em mais de 24 países e territórios, como o Palácio de Haia, na Holanda; Centro para a Educação Ambiental da Índia; Conferência Anual da NGO do Departamento de Informações Públicas das Nações Unidas, em Bonn; Olimpíada da Juventude, em Cingapura.

No Brasil, em seu formato original, com o uso de painéis fixos, teve pelo menos 10 montagens anteriores em locais como a Rio+20 e o Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em 2021. 

Ruan Matheus Lopes Pereira, 26 anos, carioca de Madureira é um Embaixador Sementes da Esperança e Ação (ver quadro) e “descobriu” a exposição durante a leitura de uma mensagem. De pronto se interessou. “Achei fantástico. Vivemos num mundo de contrastes com pessoas conscientes e outras que não fazem a mínima ideia do impacto que estão causando ao nosso mundo. Vi a exposição e foi como se me dissessem: Você também tem oportunidade, chegou o momento de dar esse passo. Pelo simples fato de ver a exposição, comecei a fazer por assim dizer, micro revoluções”.

5 temas

São 5 temas básicos —pesquisar, aprender, refletir, empoderar, agir & liderar— que se traduzem em ações práticas para tornar realidade os 17 ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que têm por objetivo acabar com a pobreza, proteger o planeta e assegurar a paz e prosperidade para todos.

Ruan Pereira, Embaixador Sementes da Esperança e Ação

Embaixadoras e embaixadores Qualquer pessoa que percorra a exposição poderá responder a algumas perguntas bem simples (a partir de pequenos pontos pulsantes facilmente notados) e se tornar “embaixadora” ou “embaixador” da Sementes da Esperança. Esses embaixadores chamam para si uma missão muito especial: divulgar a exposição e os seus temas tanto diretamente como através de seus contatos regulares nas mídias sociais.

Já no início é lembrada a frase de Anne Frank,

“Que maravilhoso é ninguém ter que esperar um único momento para começar a melhorar o mundo”

e em seguida, através de textos e vídeos as pessoas vão se dando conta de medidas fáceis de serem adotadas e tornadas até rotineiras, mas capazes de proporcionar flagrantes resultados.

Outra embaixadora

Gabrielle Maia, (tem foto) em sua atuação na área de ensino profissional em Sergipe é outra embaixadora que não se cansa de divulgar a exposição. “Tomei conhecimento dela através de um grupo de WhatsApp e logo logo me identifiquei com o conteúdo, seus temas atuais, com os hiperlinks que levam a depoimentos e outras matérias. Abordei o assunto em aula e o interesse foi muito grande. Como participo do Programa Academia Magia da Leitura, que envolve uma gama muito ampla de pessoas, do pós letramento ao pós doutorado, ali também fiz a divulgação e por certo serão inscritos ali novos embaixadores”.

A urgência

Há um sentido de urgência que não pode ser ignorado e números que falam por si: 85% dos pântanos já foram perdidos; 25% dos mamíferos, 41% dos anfíbios e 33% dos recifes de coral estão ameaçados de extinção; 32 milhões de hectares de floresta primária ou em recuperação nas regiões tropicais foram perdidos entre 2010 e 2015. A concentração de riqueza é flagrante: em 2018, 45% da riqueza mundial pertencia a apenas 4% das pessoas. Os gastos militares, por outro lado, cresceram 76% desde 1998.

Gabrielle Maia, Embaixadora Sementes da Esperança e Ação
Reservas inexploradas de sabedoria

Fica a pergunta: o que eu posso fazer?

Em verdade, todos nós possuímos reservas inexploradas de sabedoria, coragem e esperança. Somos todos diferentes uns dos outros, mas cada um tem suas próprias ideias e soluções únicas que podem transformar uma sociedade inteira, a começar por nós mesmos, nossa família e amigos.